...

OBESIDADE E SAÚDE DA PELE.

Quais impactos sobre a saúde da pele em pessoas com sobrepeso e obesidade?




A obesidade está associada a várias patologias podendo levar a morte. Estas condições frequentemente tem profundos impactos sobre a saúde e vários problemas na pele não passam em branco não.

Antes entendem uma diferença.

Uma pesquisa realizada por Castro, considera a diferença entre indivíduos obesos e aqueles que apresentam sobrepeso o acúmulo excessivo de tecido adiposo caracteriza os indivíduos obesos.

Já os que apresentam sobrepeso, excedem o peso médio da população por apresentarem um conjunto de componentes físicos gerais, como músculos, ossos, órgãos viscerais e líquidos orgânicos em níveis superiores aos da média da população.

Como exemplo, pode-se citar o fisiculturismo, em que os indivíduos apresentam peso excessivo com percentual baixo de tecido adiposo.

 

Existem inúmeras alterações orgânicas, sendo a pele também afetada. A obesidade altera a função de barreira cutânea, altera o funcionamentos das glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas, a estrutura e função do colágeno, a cicatrização de feridas, vasos sanguíneos e gordura subcutânea.Vale ressaltar a precariedade de estudos nessa linha de pesquisa.

 

A pele representa 12% do peso seco total do corpo, com aproximadamente 4,5 quilos, e é o maior sistema de órgãos expostos ao meio ambiente.Embora ela represente menos de 15% do peso do corpo, é considerada o maior órgão humano, pois a sua extensão corresponde a uma área de dois metros quadrados.

 

Por si só, ao promover a formação de dobras pelo excesso de gordura corporal, especialmente nas regiões axilares, submamárias e inguinais torna a pele mais susceptível a fenômenos de maceração (umidade excessiva com alteração da flora microbiana), surgimento de candidíase nas dobras cutâneas maiores e dermatofitoses (micoses por fungos dermatófitos).

Além disso, a obesidade frequentemente está associada à hiperidrose (sudorese acentuada), o que nas dobras cutâneas favorece as micoses superficiais e a formação de furúnculos (infecção do aparelho folicular por bactérias, como o estafilococo), especialmente na virilha e sulco Inter glúteo.

A obesidade é associada a resistência periférica à insulina e pode haver hiperandrogenismo periférico, causando efeitos como dermatite seborreica, acne da mulher adulta e síndrome do ovário policístico, hirtsutismo (crescimento de pelos terminais em áreas não habituais para o sexo do indivíduo) e alopecia de padrão androgenético. Ela também se relaciona à pseudoacantose nigricante, que é o espessamento da epiderme pela ação do ator de crescimento insulina símile (IGF), nas axilas , ao redor do pescoço, no dorso dos dedos das mãos e nas virilhas, conferindo à pele um aspecto aveludado e acastanhado.

Isso faz muitas pessoas procurarem o dermatologista acreditando que seja uma pigmentação excessiva ou sujidade da pele, apesar de o problema não ter relação alguma com essas suposições.

Os acrocordones (papilomas fibroepiteliais) são lesões pedunculadas, da cor da pele ou acastanhadas que surgem também em pacientes com excesso de peso pela resistência periférica à insulina, especialmente no pescoço, axilas e áreas submamárias. Também são extremamente frequentes as estrias por distensão da pele no abdome, nádegas, braços e virilhas. Nos calcanhares, é comum o espessamento da epiderme causando queratoses fissuradas, as quais podem ser dolorosas. Elas ocorrem pelo aumento da carga de massa corporal distribuída sobre essa área plantar.

Perceberam o tanto de problemas que as vezes você nem liga mas é causado pela obesidade?

 

Dessa forma, são diversos os efeitos na pele humana que podem requerer abordagem multidisciplinar, a qual envolve o médico dermatologista.



Escrito por Gabriel Baú

... ...


Redes Sociais

... ... ...

NewsLetter

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece aqui? Assine nossa Newsletter.


Agência LevelX - Marketing Digital, Inbound Marketing, Desenvolvimento de Websites e Aplicativos para Iphones, Ipads e Androids